Geral

Vaquinha arrecada mais de R$ 160 mil para garoto que tentou comprar casa para família pagando R$ 50 por mês

Para ouvir a matéria, clique no play abaixo:

Uma vaquinha feita pela internet, arrecadou mais de R$ 160 mil para o garoto de Maringá (PR), que tentou comprar uma casa para a família com parcelas mensais de R$ 50.

A meta do valor, estipulada para ajudar a família a comprar a casa própria, foi atingida na manhã desta quinta-feira (1º), menos de 24 horas após a vaquinha ser aberta.

A história de João Bernardo, de nove anos, viralizou nas redes sociais após a mãe dele, Daiana Campiolo, compartilhar mensagens em que o garoto negociava a compra de casa de R$ 110 mil em Sergipe por um aplicativo de celular.

A vaquinha foi criada por um grupo de voluntários com a autorização da família.

“Estamos sem reação ainda, não conseguimos nem acreditar”, afirmou Daiana.

Após a perda do pai de João Bernardo, a família enfrentou dificuldades financeiras, teve que sair da casa onde morava e se mudou para uma quitinete.

“Eu não fico falando disso, porque ele é só uma criança, não tem que ter esse tipo de preocupação, mas é algo que ele pensa muito após esse trauma”, afirmou.

Ajuda

A responsável pela vaquinha na internet, Jéssica Souza, disse que se solidarizou com a família após ver a preocupação do garoto.

“Em um primeiro momento, parece uma história curiosa, engraçada, de uma criança tentando comprar uma casa de uma forma ingênua, mas quando vimos as preocupações por trás disso, resolvemos ajudar”, afirmou.

João Bernardo mora com a mãe, Daiane, e o irmão, Kauan, em Maringá — Foto: Arquivo pessoal
João Bernardo mora com a mãe, Daiane, e o irmão, Kauan, em Maringá — Foto: Arquivo pessoal

Para a mãe de João Bernardo, a “ficha ainda não caiu”. “Meus filhos já estão pensando na casa, em como nossa vida pode mudar, mas eu não consigo nem acreditar”, afirmou.

Segundo Daiana, além do dinheiro arrecadado, a família está recebendo mensagens de carinho. “Recebemos tantas mensagens boas nestes dias que eu não consigo nem agradecer. Não existe uma palavra que defina o que nós estamos sentindo”, disse.

Via
G1 PR - Pedro Brodbeck

Redação Litorânea FM

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor. A Rádio Litorânea tem o compromisso de levar a informação através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar