Saúde

Três em cada dez crianças e adolescentes têm excesso de peso

No dia 15 de setembro, o UNICEF reunirá representantes de governos, sociedade civil, instituições acadêmicas, organismos internacionais e setor privado

Ouça a matéria

Nos últimos anos, cada vez mais crianças e adolescentes vivem com excesso de peso na América Latina e no Caribe. Atualmente, estima-se que três em cada dez crianças e adolescentes entre 5 e 19 anos tenham excesso de peso na região.

Em 2020, o UNICEF, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Banco Mundial estimaram que na América Latina e no Caribe 7,5% das crianças menores de 5 anos, representando cerca de 4 milhões de crianças, viviam com excesso de peso. Isso é maior do que a média global de 5,7%.

As principais causas do sobrepeso e da obesidade na infância são o consumo de alimentos ultraprocessados e bebidas açucaradas – de fácil acesso, baixo custo e divulgados na mídia – e a falta de atividade física. Durante a pandemia, o problema foi ampliado pelo acesso limitado a alimentos saudáveis e reduzido poder de compra.

“Durante esse ano e meio de pandemia, foi muito mais difícil para as famílias uma alimentação saudável. Mães e pais perderam renda e os preços dos alimentos aumentaram. Com o fechamento das escolas, muitas crianças deixaram de receber a merenda escolar e as opções de atividade física eram limitadas”, disse Jean Gough, diretora regional do UNICEF para a América Latina e o Caribe. “Antes da covid-19, prevenir a obesidade era essencial, e agora é mais urgente do que nunca”.

No dia 15 de setembro, o UNICEF reunirá representantes de governos, sociedade civil, instituições acadêmicas, organismos internacionais e setor privado para fazer uma convocação urgente de ações que promovam a alimentação saudável na infância desde os primeiros anos de vida.

O UNICEF tem promovido iniciativas, em colaboração com governos de toda a região, para melhorar o estado nutricional da população, orientar famílias e comunidades e contribuir com ações regulatórias para mudar o ambiente alimentar. Para prevenir o excesso de peso, o UNICEF apoia campanhas de rotulagem nutricional em diversos países e promove ações de proteção, promoção e apoio ao aleitamento materno desde o nascimento até os 2 anos de idade.

“A pandemia nos ensinou a importância de cuidar de nossa saúde e de nossas famílias. A covid-19 apresenta uma oportunidade para prevenir o excesso de peso na primeira infância e para toda a vida. Hoje é possível para todas as crianças da América Latina e do Caribe crescer com uma alimentação saudável, mas apenas se unirmos forças”, acrescentou Jean Gough.

O UNICEF pede aos países da região para que fortaleçam e implementem marcos regulatórios para garantir a qualidade da alimentação em casa e na escola, reativem programas de alimentação escolar, garantam o acesso a alimentos mais saudáveis para as famílias e promovam mais espaços e iniciativas de atividade física.

________

Se desejar mais informações, o UNICEF realizará um evento online no dia 15 de setembro, às 11h (horário de Brasília), para destacar a situação atual do excesso de peso infantil na região e compartilhar experiências e melhores práticas de vários países para aumentar a conscientização sobre alimentação saudável.

Silvana Baitala Buhrer

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor. A Rádio Litorânea tem o compromisso de levar a informação através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo