Litoral

Profissionais que moram no Litoral reforçam gestão ambiental dos portos do Paraná

Ouça a matéria

Dos 21 profissionais que atuam na equipe contratada para auxiliar na gestão ambiental da empresa Portos do Paraná, quase todos são formados no Litoral do Estado. Cada vez mais, moradores dos municípios da região reforçam o time de cuidado permanente com o Meio Ambiente nos portos de Paranaguá e Antonina.

O reforço veio, de maneira mais efetiva, em maio, com o novo contrato para a execução dos programas ambientais exigidos pela Licença de Operação dos portos paranaenses, com a empresa Cia Ambiental, contratada pela Portos do Paraná.

“Foram contratados seis novos técnicos de meio ambiente e um de gerenciamento de risco. Eles atuam em apoio aos programas ambientais, às inspeções e auditorias e em complementação às ações de implementação do Sistema de Gestão Integrada”, explica o diretor de Meio Ambiente da empresa pública, João Paulo Ribeiro Santana.

Ao todo, pelo contrato com a empresa, são 19 profissionais que concluíram ou estão para concluir as respectivas formações na região: uma estagiária; sete técnicos de meio ambiente; quatro gestores; uma assistente administrativa; e seis analistas.

“Da equipe permanente, 95% ingressaram na empresa em virtude da relação contratual com a Portos do Paraná. Neste momento, 100% da equipe é residente no Litoral e moram em Paranaguá, Antonina, Matinhos, Morretes e Pontal do Paraná”, diz o responsável pela equipe de atendimento exclusivo aos portos do Paraná, da Cia Ambiental, Giácomo Wosniacki.

DA CASA – Uma das profissionais que vieram com o novo contrato é a oceanógrafa Edna Wisnieski, coordenadora do Programa de Gestão Ambiental (PGA). Ela se formou no Centro de Estudos do Mar (CEM), da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Pontal do Paraná, onde também concluiu o mestrado.

“Foi uma transição muito interessante, saí da parte da pesquisa e, após um período de atuação em outro estado, retornei para atuar no Litoral do Paraná. É uma área familiar tanto de estudo quanto de atuação”, afirma.

Para Edna, contar com profissionais formados na própria região em que atuam é essencial. “As pessoas têm tanto o conhecimento acadêmico e técnico quanto o empírico, da vivência. Isso valoriza a população de Paranaguá e região”, diz.

“É um estímulo para que os moradores busquem formações na área ambiental. O porto é um dos lugares que podem oferecer oportunidade de emprego no ramo”, acrescenta a oceanógrafa.

TÉCNICO – Rafael Peres, técnico em meio ambiente, formado no Colégio Estadual Brasílio Machado, em Antonina, faz parte da equipe. Desde o último mês de junho, ele atua como técnico de gerenciamento de risco.

“A expectativa é grande. Após experiências com monitoramento ambiental no setor portuário e em operações portuárias, esta é a minha primeira atuação na área de efetivo gerenciamento de impactos e riscos de incidentes ambientais portuários”, conta.

Quando se formou, em 2010, Rafael não tinha muita ideia de como ou onde poderia atuar na área. Chegou a pensar que trabalharia em pesquisa, na área de pesquisa de campo, e que, para isso, teria que ir longe: Pantanal ou até Amazônia. “Acabei me encontrando perto de casa e me apaixonando pela atuação na área portuária”, diz.

Para quem pensa em trabalhar com meio ambiente no Litoral, Rafael deixa a mensagem: “Compensa muito investir na formação. É uma área em expansão. Todas as empresas têm que ter profissional voltado ao setor. É essencial”.

Além do Colégio Brasílio Machado, em Antonina, e do CEM, da UFPR, em Pontal, os profissionais formados no Litoral concluíram os estudos no Instituto Federal do Paraná e na Unespar, em Paranaguá, bem como no câmpus UFPR Litoral, em Matinhos.

Redação Litorânea FM

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor. A Rádio Litorânea tem o compromisso de levar a informação através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo