Internacional

Jornalista morre ao ser atingida por tiros na Cisjordânia

Ouça a matéria

Na manhã desta quarta-feira, Shireem Abu Aqleh, jornalista do Canal Al Jazeera, morreu após ser atingida por tiros enquanto cobria uma operação do exército israelense em um campo de refugiados palestinos em Jenin, na Cisjordânia.

A falecida repórter, figura de destaque na emissora de língua árabe, era palestina e cristã, residia em terras árabes e tinha cidadania americana; na mesma ocasião outro jornalista, Ali Al Samudi, também da Rede Al Jazeera, ficou ferido após ser alvejado.

Um fotógrafo, da AFP, afirmou que Abu Aqleh usava o colete de imprensa quando foi alvejada, ele também afirma que o exército israelense abria fogo quando viu o corpo da repórter no chão.

Em nota oficial, o canal com sede no Catar, afirmou que a veterana repórter, foi assassinada deliberadamente e a sangue frio pelas forças de Israel, porém, o primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, afirmou que “provavelmente” a correspondente foi morta por palestinos.

O exército sionista confirmou que havia uma operação em curso durante esta manhã no campo de refugiados em Jenin, um suposto reduto de grupos armados palestinos no norte da Cisjordânia, porém, negou ter alvejado os jornalistas.

Shireem Abu Aqleh, repórter falecida da Rede Al Jazeera

Redação Litorânea FM

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor. A Rádio Litorânea tem o compromisso de levar a informação através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo