Saúde

Cirurgiã de 88 anos, se recupera da Covid-19 e volta a operar, após 50 dias intubada na UTI

Um período de recomeço. Assim a médica Angelita Habr-Gama, de 88 anos, descreve o seu retorno ao centro cirúrgico do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo (SP), em 4 de junho.

Naquele dia, ela conduziu a sua primeira cirurgia após retornar ao serviço, depois de passar 50 dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do mesmo hospital em que trabalha, após contrair a Covid-19.

Uma das mais renomadas gastroenterologistas do país, Angelita se tornou uma paciente em estado grave, em meados de março. Os pulmões dela foram comprometidos pela Covid-19. Com dificuldades para respirar por vias naturais, a médica teve de ser intubada. Apesar de não ter comorbidades, ela era considerada do grupo de risco em razão da idade.

A médica foi internada em 18 de março. Na data, segundo dados do Ministério da Saúde, havia 428 casos do novo coronavírus no Brasil e quatro mortes confirmadas. Quando ela recebeu alta, em 10 de maio, eram mais de 161,6 mil casos e 11 mil mortes pelo vírus no país.

Angelita não acompanhou o início do crescimento exponencial de registros de Covid-19 no país, que atualmente tem mais de 1,2 milhão de casos e 55 mil mortes. Intubada e sedada na UTI, ela soube da situação horas após recobrar a consciência.

“É um vírus muito agressivo. Ele se propaga com muita facilidade e como ainda não se conhece muito sobre as características dele, é mais difícil tratar. Mas é preciso ser otimista. É grave, mas nem sempre é letal”, reflete a cirurgiã.

Fonte
BBC NEWS
Mostrar mais

Redação Litorânea FM

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor. A Rádio Litorânea tem o compromisso de levar a informação através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar